Como fazer uma obra solidária e feliz

Quando se deseja fazer uma obra de reforma ou ampliação de algum cômodo existe o movimento natural de sair da zona de conforto para uma situação de mudança de mentalidade da pessoa em relação ao ambiente que se deseja mudar. Neste momento o sentimento é de criar algo novo, melhor e mais bonito para colocar no lugar da coisa velha, desgastada e que será eliminada.

Entretanto, é preciso alargar um pouco mais as possibilidades positivas que uma obra tem na realidade que a cerca. Quando olhamos além da relação de consumo e olhamos a sociedade ao redor, vemos que existem muitas pessoas pobres, passando necessidades e que estão convivendo indiretamente com a sua obra, os resíduos, entrada e saída de materiais, caçambas de entulho e lixo de coisas que não nos servem mais. Soma-se a isso ao impacto ambiental pelo aumento do consumo de recursos como água, energia e matérias-primas.

Será que nossa obra precisa ser assim tão egoísta e insensível ao seu redor?

Não! Não precisa! E um projeto de arquitetura bem resolvido precisa estar consciente para buscar soluções integrais e solidárias  que permitam melhorar a realidade local, tornando-a mais sustentável, mais solidária e mais feliz para todos

Continuar lendo Como fazer uma obra solidária e feliz

14 pequenas coisas para você ser feliz no trabalho

Você conhece as pequenas coisas que fazem seu dia mais feliz? A felicidade está em pequenos momentos diários.

Tente estas 14 pequenas coisas para você ser feliz no trabalho.

1. Sorria

1 sorria

Quando você dedica um tempo para dar um sorriso genuíno a uma outra pessoa, endorfina circula pelo seu cérebro e você imediatamente sente uma onda de felicidade.

2. Comece a conversar durante o café pela manhã

2 café

Felicidade é um dos muitos benefícios da interação humana.

3. “Abrace” as surpresas

cara de surpresa

Seus colegas vão se preocupar com você se resolver decorar todo o escritório ou se sumir sua caneta favorita.

4. Dê um verdadeiro “obrigado”

agradecimento

Gratidão verdadeira inunda o sistema nervoso com dopamina, hormônio do prazer e felicidade.

5. Permita-se uma pequena recompensa quando terminar sua lista de tarefas

Troféu

Reconhecer suas conquistas, por menor que seja, aumenta as sensações positivas como autoestima, felicidade e confiança.

6. Faça algo diferente de vez em quando

criatividade

Criatividade é tanto causa como consequência de um desenvolvimento positivo.

7. Peça ajuda

HELP

Tire o máximo proveito dos relacionamentos que você tem construído. Aprenda pelo menos uma coisa de cada pessoa.

8. Perceba as pequenas coisas

neymargl

Esteja atento. Perceba as pequenas mudanças (como o novo penteado do colega)

9. Partilhe durante a refeição

almoço

A hora do almoço é uma grande oportunidade de ganhar amigos por toda a vida. (ou alienar colegas)

10. Tenha um momento para uma brincadeira

Google_TechStop

Recarregue suas baterias durante o intervalo e você estará mais focado e produtivo logo em seguida.

11. “Dance” no seu posto de trabalho

listening-music-ouvindo-musica-headphones-spotify

Você sabe que é possível . Basta ter certeza que seus fone de ouvidos estão plugados.

12. Não leve sua vida tão a sério

sem estresse

O mundo não vai acabar por causa daquele e-mail. Não se estresse mais do que o necessário

13. Limpe sua área de trabalho

clean

Você tem 5 minutos para limpar sua área de trabalho ou este computador vai se autodestruir!

14. Faça algumas piadas

viver-a-vida-palhaco-07g

Nunca é tarde. Tenha certeza de que isso será lembrado na sua festa de aposentadoria.

Fonte: Happy Apps (tradução livre)

Leia também:

17 coisas que geralmente ninguém te fala

Um artigo superbacana e revelador. Você vai se identificar com ele.

Arquitêta

1. Seu salário não determina o quão bom você é como pessoa

2. As coisas que são difíceis de serem ditas, geralmente são as mais importantes

3. Você ainda é fraco se só é bom em uma única coisa

4. Encontre alguém com quem você possa rir de praticamente tudo e o resto ficará bem

5. Ninguém vai conceder seus desejos, é melhor que você os faça acontecer

6. Separe um tempo para ser preguiçoso, faz bem pra você

7. Devagar é o novo rápido…e incrível também

8. Fato: grandes empresas vão sugar seu sangue e sua alma…tente evitá-las

9. Pensar muito sobre um problema não vai, necessariamente, torná-lo mais fácil de resolver

10. “Olá” é a palavra mais poderosa contra a solidão

11. Você não pode se livrar dos seus medos…mas pode aprender a viver com eles

12. Culpa é um sentimento inútil

13. Pessoas que sempre dizem a…

Ver o post original 59 mais palavras

Índice Anual de Felicidade Percebida: como utilizar a planilha

No dia de ontem foi lançada na fanpage do Arquiteto da Felicidade uma planilha feita no Microsoft Excel com a seguinte proposta: vamos medir o quão feliz foi o ano que passou. A esta planilha se chamou Índice Anual de Felicidade Percebida (Planilha IAFP). muitas pessoas já começaram a utilizar como ferramenta de medição da felicidade.

Mas acho que ficou faltando um tutorial que explicasse de onde saiu estes números e qual a melhor forma de utilizar o número encontrado. Este artigo vai explicar com um pouco mais de profundidade como utilizar a Planilha IAFP e os conceitos adotados.

Continuar lendo Índice Anual de Felicidade Percebida: como utilizar a planilha

Mudança de hábitos: vale à pena

Alguns comportamentos alimentares são sintomas de infelicidade e acabam influenciando negativamente na saúde. Seja crítico e faça uma autoavaliação.

Leia também:

Como anda a paixão sobre o seu trabalho?

Um texto de carreiras que fala sobre a felicidade na carreira. Será que não é hora de mudar para ser mais feliz?

Leia também

Mais Tempo - administração do tempo, produtividade e life hacking

Ontem estava voltando de um evento e conversando com uma funcionária da Bayer, falamos sobre o assunto de carreira. Ela fez veterinária e hoje trabalha com pesquisa clínica dentro da Indústria, o marido também é veterinário e se especializou em odontologia para cavalos.

A emoção que ela falava sobre a carreira dela era impressionante, algo de paixão mesmo, de gostar e ter prazer naquilo que faz. Óbvio que tinha probleminhas e coisas que ela não gosta no dia-a-dia, mas nada tirava o tesão de como ela falava do seu trabalho, o ruim se tornou supérfluo. Ouso dizer que ela é daquelas poucas pessoas que encontraram seu propósito, acharam o lugar certo e conseguem viver aquilo que amam no dia-a-dia.

I-love-my-job-583x388

Meu cunhando é outro exemplo disso. Ele é um conhecido jornalista esportivo, trabalha no principal veículo no segmento no País. Ele sempre amou futebol e hoje vive disso. No momento recebeu…

Ver o post original 421 mais palavras

O tempo de ser feliz é agora

23742_483943474980614_1541658435_n

Uma das coisas que pude aprender este ano é que nada é mais importante na vida do que a própria vida. Vida essa que veio sem a gente ter pedido, vida que vai embora num instante que passa.

Pensando nisso, revisitei uma composição de 2004 de minha autoria que fiz para tocar no ministério de música. E percebo hoje que ela ainda permanece atualíssima:

Continuar lendo O tempo de ser feliz é agora

O Fim do Mundo: um final feliz

Happy People

Hoje é dia 21/12/2012.

Hoje me disseram que seria o fim do calendário maia. E por causa disso alguém concluiu que a partir desta data não haveria nada além, que isso significaria o fim do mundo.

Muitos outros fins do mundo foram anunciados antes deste e nenhum se concretizou. Então vive-se esperando sempre que a próxima promessa de fim seja mais acertada.

Bem, eu tenho uma proposta melhor. Que tal não frustrarmos os amigos maias e aqueles que acreditam nele?

Vamos realizar este fim do mundo! E que ele termine da maneira mais feliz possível.

Continuar lendo O Fim do Mundo: um final feliz

Os sete princípios do Arquiteto da Felicidade

Ilustração feita no site Pixton.com

Algumas pessoas podem pensar que ser um Arquiteto da Felicidade é uma virtude ou qualidade somente do autor deste blog. Se você é um deles, saiba que não é assim. Por incrível que pareça para ser um Arquiteto da Felicidade não precisa nem ter estudado numa faculdade de arquitetura!

Ser um Arquiteto da Felicidade é viver uma vida baseada em princípios organizadores das atividades da sua vida. A ilustração e os tópicos abaixo explicam de maneira bem objetiva os sete princípios que escolhi para nortear e organizar todas as atividades que me propus a fazer, todas alinhadas à missão, visão e valores deste blog.

Leia com atenção, pois acho que você também pode se identificar com alguns deles.

Ilustração feita no site Pixton.com - clique para ampliar

Continuar lendo Os sete princípios do Arquiteto da Felicidade

Talentos, Arquitetura e Felicidade

Ao fim da série, podemos agora contemplar oito diferentes formas de encarar uma vida em busca da felicidade, baseado em história de personalidades que tiveram uma trajetória marcante que pudesse evidenciar com clareza ao leitor o traço voltado para uma dessas dimensões apresentadas.

Em cada parte, procurei apresentar cada personagem e dimensão seguindo uma mesma estrutura lógica: (1) definir o que é a felicidade baseada em cada dimensão e valores associados; (2) definir as falsas dimensões, atitudes que não são baseadas em valores e que podem trazer uma expectativa que pode vir a frustrar; (3) o exemplo de um caso real de sucesso; e (4) as consequências por determinada escolha no conjunto das demais dimensões preteridas.

Este modo de desenvolver o tema foi pensado para permitir que o leitor possa abstrair, compreender sua própria escolha e repensar os esforços empenhados na busca que mais se adeque à sua necessidade.

Arquiteto ou Psicólogo?

Mas qual é a explicação de um arquiteto estar tão interessado no comportamento e hábitos de pessoas? Um psicólogo ou sociólogo não faria um trabalho melhor? Não deveria o arquiteto pensar no seu projeto de edificações?

A razão que me moveu a buscar o entendimento da vida das pessoas foi a mesma pela qual o arquiteto Oscar Niemeyer chegou a seguinte conclusão:

“A Vida é mais importante do que a Arquitetura. A Vida é importante; A arquitetura não é. Até é bom saber das coisas da cultura, da pintura, da arte. Mas não é essencial. Essencial é o bom comportamento do homem diante da Vida. A Arquitetura não muda nada. Está sempre do lado dos mais ricos. O importante é acreditar que a Vida pode ser melhor. A Vida pode mudar a Arquitetura. No dia em que o mundo for mais justo, ela será mais simples.”

Seguindo essa linha, se a vida é o mais importante, o ser humano deve ser o objetivo central na construção de uma arquitetura, uma cidade e um país. E da mesma forma que toda arquitetura estabelece uma relação de pertinência com o seu entorno e com a cidade, o ser humano o faz com o grupo e com a sociedade a qual pertence.

Como as relações tem a mesma estrutura, é mais fácil discutir a arquitetura quando passamos a enxergar nela a materialização dos nossos comportamentos e relações. Nesta ótica, a arquitetura é gente como a gente e quer ser feliz, logo precisamos nos importar com essas relações que construímos.

A Felicidade como um processo humano

O ser humano tem em si a necessidade de buscar uma vida feliz e se apoia em suas crenças e esperanças numa vida melhor, seja através da fé em Deus, ou numa fé que contemple algo que possa transmitir sinais da Verdade e da Luz. Essas crenças são capazes de elevar o espírito à um patamar que permite através dele observar um objetivo, uma luz no fim do túnel, e que nos impulsiona nesta direção.

Este movimento é tão dinâmico quanto a capacidade de auto-conhecimento, de fazer as escolhas, de priorizar seus esforços a partir de seu talento, de remediar as dimensões não priorizadas. Ao fim de um período determinado, a esperança baseadas em suas crenças ratificarão o resultado, que pode nos mover a novos desafios ou desfazer as escolhas anteriores, reprojetando o objetivo.

Felicidade é todo esse processo dinâmico. Mas não é somente o destino final ou o resultado alcançado.

Isso tem uma razão: o resultado pode chegar antes do necessário ou caducar no tempo, dada a propria dinâmica da vida das pessoas. As mulheres podem ter o desejo de ter um filho, mas faz toda a diferença na percepção do objetivo se esse filho chegar aos 12 anos ou aos 60 anos.

Faz parte desse processo de felicidade a reavaliação e reflexão da vida e daquilo que realmente importa. Mudar faz parte do processo. Faz parte da vida. Precisamos mudar a nós mesmos, a arquitetura, a cidade, o país.

Para construir a Felicidade

A partir do exemplo dos talentos da felicidade nas suas opções de vida, também nós temos que ter clareza sobre o que realmente importa. A partir de um ideal de felicidade a perseguir é preciso construir esse mundo.

Como nos ensina Alain de Button, no livro Arquitetura da Felicidade, uma arquitetura deve estar orientada para expressar uma mensagem do ideal de felicidade que gostaríamos de viver. Para isso é preciso construir as condições ideais para que essa arquitetura floresça.

Projetar uma Arquitetura Feliz com suas cores, paisagens, áreas livres, altura e densidade, significará a construção de uma mensagem, um novo senso comum de pertencimento e esperança daqueles que habitam, pretendem viver, construir família ou simplesmente viver sozinho.

Delimitar uma Vizinhança Feliz significa uma sinergia de valores comuns capazes de dar forma à sociedade mais próxima a partir do relacionamento entre as arquiteturas que se falam e buscam uma nova harmonia.

Planejar uma Cidade Feliz é observar todos os recursos, capacidades e limitações e orientar para uma discussão social no território, de forma que sua forma e desenvolvimento traduzam numa soma de todas as relações no compartilhamento da superfície.

Construir um País Feliz é compreender o sentimento que une os cidadãos como nação e potencializar valores e talentos de modo que todos os seus habitantes possam viver o tipo de vida que decidiram valorizar.

Mas todos estes passos passam por desconstruir a ideia do individualismo e da competição, do cada um por si e o resto que se vire. Estes males constroem as sociedades que não se falam, construções neutras, cidades soturnas e paises insensíveis á realidade.

O motivo para uma nova Arquitetura da Felicidade nasce em cada amanhecer, na Luz que renova nossa fé e nos revela a possibilidade de construir um futuro melhor e nos faz enxergar todos os novos objetivos a perseguir.

Os próximos passos

Continuaremos a lançar Luz sobre a construção da Felicidade a partir de novas séries de talentos. No entendimento que a Arquitetura, a Cidade e o País são gente como a gente, vamos continuar a eleger essa “nova gente” e seus talentos. Visitaremos países, cidades, bairros, arquiteturas e até cômodos da casa para construirmos essa nova Arquitetura da Felicidade.

Durante a leitura, consulte o Guia da Felicidade para que você consiga perceber a relação entre as vidas e as arquiteturas.

E sigam-me os bons!