Metrópole inteligente na Ásia custará menos que Copa do Mundo de 2014

Nesta seção, separei este exemplo de cidade sustentável que é mais viável que estes eventos que o Brasil está realizando por aí. Vale a leitura.

Leia também

Energia Inteligente

thCA8CT70VA primeira “metrópole inteligente” do sudeste asiático, Iskandar Malásia, está sendo construída com fundações firmes em princípios de integração social, baixas emissões de carbono, economia verde, tecnologias verdes, sustentabilidade e todos os demais conceitos relacionados com uma nova economia mundial. A ideia, assim, é que haja esse investimento em cidades que sejam concebidas em novos formatos.

Isso se dá a partir da estimativa das Nações Unidas de que a população humana passará dos atuais 7 bilhões para 9 bilhões até 2050  e mais de 6 bilhões vão viver em ambientes urbanos, um número que é quase o dobro de hoje. Segundo cálculos de especialistas, esse aumento exigirá a construção de uma cidade de 1 milhão de habitantes a cada semana até 2050.

Além disso, o intenso crescimento urbano causará um estresse ambiental imenso – mais de 70% das emissões de CO2 hoje se relacionam com as necessidades das cidades.

É por…

Ver o post original 120 mais palavras

Urbanização Alternativa: Projeto para a Vila Residencial da UFRJ

“De imediato separam-se a rua, espaço conotado pela externalidade, e o quintal que, não sendo a casa, é, no entanto, da casa, que apesar de externo não é rua (…) A casa, porém, olha igualmente para a rua e para o quintal”
(Carlos Nelson dos Santos, Quando a Rua Vira Casa, p.49)

prancha final 1

Este trabalho foi desenvolvido na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ em 2005, na disciplina eletiva de projeto de Urbanização Alternativa, onde eram desenvolvidos estudos e projetos de habitação e urbanização em áreas de assentamentos precários de baixa renda.

O trabalho na disciplina consistia em pesquisa de campo e elaboração de um diagnóstico das condições urbanas e sociais da comunidade, localizada num terreno dentro da Cidade Universitária da UFRJ, na Ilha do Fundão e existente há mais de 30 anos.

O projeto em destaque foi atividade de final de período em 2005 e foi feito em dupla, em parceria com Élise Le Duc, estudante de intercâmbio que veio da França (hoje arquiteta)

Continuar lendo Urbanização Alternativa: Projeto para a Vila Residencial da UFRJ

Linhas Urbanas: Alternativas de Ocupação da Faixa de Linha de Transmissão em Madureira

Linhas Urbanas foi o meu Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, apresentado na FAU/UFRJ no fim de 2006, sob a orientação da professora Vera Tângari.

Este projeto de urbanismo foi concebido a partir do primeiro estudo elaborado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro do final da década de 90, sobre a construção do atual Parque Madureira.

O projeto urbano tinha o objetivo de revisar o projeto inicial de forma a torná-lo menos dependente dos investimentos públicos, reduzindo os impactos do custo da compactação das linhas de transmissão da Light e criando lotes para a iniciativa privada, de forma a capitalizar recursos para a implantação do parque.

Continuar lendo Linhas Urbanas: Alternativas de Ocupação da Faixa de Linha de Transmissão em Madureira