Cheque Reforma: governo concederá subsídio para reformas residenciais

O jornal Folha de São Paulo noticiou na sua página na internet que o presidente em exercício Michel Temer autorizou o Ministério das Cidades a elaborar o programa social para subsidiar reformas residenciais para famílias com renda de até 3 (três salário mínimos).

Baseado em experiências positivas em Goiás e Pará, o projeto, conhecido como Cheque Reforma, prevê a liberação de crédito entre R$ 3 mil e R$ 5 mil diretamente para compra de materiais para melhorias residenciais, como construção de banheiro, troca de telhado e instalações elétricas, cabendo ao proprietário contratar a mão de obra.

De acordo com a matéria, o objetivo é que o programa atinja a marca de 1 milhão de famílias nos próximos 2 anos.

Emoji Smiley-116Leia a íntegra da matéria aqui.

Confira também

DÚVIDAS?

Clique no botão e acesse a seção de tira-dúvidas

Comprar imóvel barato para reformar: vale a pena?

Quem pensa em adquirir um imóvel para moradia definitiva ou mesmo para investir suas economias pensando numa rentabilidade de valorização futura deve considerar vários fatores locais que definem a viabilidade econômica do negócio.

Ao abordar o cliente, o corretor de imóveis apresenta alguns elemento potencialmente vantajosos: facilidade de transporte, comércios de bairro atraente, com baixa poluição do ar, sonora e visual, previsão de empreendimentos futuros (estação de metrô, shoppings, galerias, etc.), estacionamento, vista favorável a uma paisagem natural, segurança pública ou privada, etc.

Todos estes fatores locais  influenciam o valor comercial com muito mais força do que a arquitetura propriamente dita. Com efeito, comprar um imóvel antigo num local favorável é um negócio potencialmente vantajoso, pois quando reformado, poderá valorizar bastante!

Será mesmo? Neste momento é melhor passar a palavra para que um arquiteto dê sua opinião sob a ótica construtiva.

Continuar lendo Comprar imóvel barato para reformar: vale a pena?

Mesmo com pouca grana, não se deve fazer obra sem projeto

Muita gente ainda não tem noção da real utilidade de um projeto de arquitetura numa obra de construção ou de reforma. Acham que é só um desenho no papel que se propõem a representar questões estéticas e decorativas. E se a obra não tem muitos detalhes, basta só que o mestre de obras e o proprietário se entendam para solucionar na prática e no improviso.

Sempre foi assim. Sempre deu certo. É aí que a maioria se engana.

Continuar lendo Mesmo com pouca grana, não se deve fazer obra sem projeto

O que é uma construção irregular?

Um dos motivos principais da existência deste site é oferecer a melhor informação para as pessoas que tem dúvidas sobre arquitetura e construção civil, ou estão planejando obras de reforma, construção ou legalização de imóveis no Rio de Janeiro. E um assunto recorrente é sobre como regularizar uma construção irregular.

Muitos, quando pensam em construção irregular, imaginam logo em barracos nas favelas, com suas lajes e puxadinhos no bairros pobres da cidade. Mas não é bem assim.

Nossa proposta vem para alargar este pensamento. Existem vários graus de irregularidades espalhados por toda a cidade do Rio de Janeiro, cometidas por pessoas de qualquer nível de escolaridade, faixa de renda ou bairro. É sobre isso que desenvolveremos este artigo.

Continuar lendo O que é uma construção irregular?

15 de Dezembro – Dia do arquiteto e urbanista

Imagine montar um quebra-cabeça, altamente complexo, de milhões de peças. Imaginou?
Agora imagine que dentro deste quebra-cabeça pessoas irão habitar, ou permanecer, passar, dormir, trabalhar…e que estas pessoas têm personalidades, gostos, sentimentos! Em que carros, motos, caminhões ou bicicletas talvez deverão entrar , estacionar…Imaginou?
Agora imagine que não só você vai montar este quebra-cabeça…que outras pessoas vão ajudá-lo e que estas pessoas pensam diferente de você, mas que o resultado deve ser alcançado por todos e para o benefício de todos que ali irão estar.


Imagine também que este quebra-cabeça altamente complexo, ao contrário de um quebra-cabeça comum (que é em duas dimensões), é um que deve ser montado em três dimensões! E que algumas peças devem ficar escondidas outras expostas, fluidos passarão por ali, que tudo tem peso, tem cheiro, tem gases circulando, materiais que são perigosos, tem cores, ruídos! Que envolve cálculos. Imaginou?


Difícil, né?


Imagine ainda, que este quebra-cabeça pode ser do tamanho de uma cidade, com peças gigantescas, ou do tamanho de um banheiro, com pecinhas minúsculas onde o espaço deve ser muito bem pensado pq tudo é “apertado”.


Como se não bastasse tudo isso, ao final, este quebra-cabeça deve ser seguro, bonito, bem ventilado, deve receber a luz do sol de maneira estratégica, bem iluminado, bem climatizado, deve atender às diversas legislações vigentes (que não são nada simplórias), não deve agredir à cidade ou ao meio ambiente e ainda deve ter o melhor custo benefício na construção!


E, o mais importante, ainda atender às expectativas, aos sonhos e às necessidades de quem ali irá viver !!!!


Pois é…nada fácil né?


É o que nós arquitetos fazemos todos os dias!!!! Não somos apenas “desenhistas de plantas” (até porque, uma planta é uma parte pequena da representação gráfica de um projeto)…não somos apenas decoradores (decoração é uma das áreas em que podemos atuar, mas nossa formação é muito mais completa e diversificada). Nem, tão pouco, temos a “vida fácil” das personagens “arquitetos das novelas de Manoel Carlos”!


Portanto, valorize o trabalho de seu amigo, seu familiar ou de seu colega de trabalho que é arquiteto! Valorize o trabalho do seu arquiteto! Não contrate um curioso qualquer para construir ou projetar seus sonhos, como o da casa própria por exemplo…ou do comércio, empresa ou escritório… que você levou um tempão para conquistar!!!!
CONTRATE UM ARQUITETO!!!!!!

PARABÉNS AOS COLEGAS DE PROFISSÃO! A VOCÊS TODO O NOSSO CARINHO E O NOSSO RESPEITO!

Felicidades 😉

5 dicas para que sua obra não dê prejuízo

Todo proprietário de imóvel em algum momento da vida estabelece um objetivo de deixar a casa com a sua cara para viver mais feliz e com conforto. Para alcançar o objetivo, é necessário encarar uma obra, seja de reforma, ampliação ou construção. Entretanto não abre mão de preços baixos que caibam no orçamento familiar.

O que poucas pessoas sabem é que pode contar com um arquiteto para alcançar esse objetivo e eliminar sustos e incertezas. E ainda fazer uma economia que garanta que sua obra pode chegar ao fim. E se puder sobrar um dinheiro para fazer algo a mais, melhor ainda!

Continuar lendo 5 dicas para que sua obra não dê prejuízo

O que você precisa saber sobre a nova norma para reformas da ABNT

abnt3

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou no ultimo dia 18 de março de 2014 a norma técnica ABNT NBR 16280/2014, que estabelece diretrizes técnicas para reformas em edificações, através do Sistema de Gestão em Reformas.

Continuar lendo O que você precisa saber sobre a nova norma para reformas da ABNT

Kit da Felicidade fez cliente mais feliz na Ilha do Governador

Bitencourt (à direita) foi nosso primeiro cliente no ano de 2012
Bitencourt (à direita) foi nosso primeiro cliente no ano de 2012

A Ilha é o bairro do primeiro cliente satisfeito com os serviços oferecidos pelos arquitetos da FELICIDADE. Roberto Bitencourt Alves foi o nosso primeiro cliente satisfeito com os Kits da Felicidade.

Continuar lendo Kit da Felicidade fez cliente mais feliz na Ilha do Governador

Construir uma segunda casa no terreno

Fonte: site imganuncios.mitula.net
Fonte: site imganuncios.mitula.net

Quando se está a procura de uma casa normalmente é avaliada a possibilidade de uma futura ampliação da residência, cuja necessidade varia de acordo com o perfil do indivíduo.

Se a pessoa adquire com o objetivo de usufruto próprio e de sua família, o proprietário normalmente pensa em construir uma segunda casa para o filho ou filha que vai se casar, ou algum outro ente familiar, com o objetivo de todos morarem próximos.

Quando a pessoa tem um perfil de pequeno investidor imobiliário, este deseja construir uma segunda casa para venda ou locação do imóvel. Esta construção é um investimento de ótima rentabilidade em curto e médio prazo, pois, em certa medida, sempre haverá uma demanda de mercado e de valorização da construção e do aumento do aluguel.

Estes perfis são impulsionados pela cultura da autoconstrução: as pessoas decidem unicamente pela vontade própria construir uma segunda casa no terreno ou num segundo andar da edificação, mas sequer desconfiam que existem regras definidas, como placas de obra, afastamento, gabarito, etc.

Felizmente, com o advento da Internet, as pessoas tendem a buscar muitas informações antes de serem tomadas pelo impulso e recorrem ao Google, o onipresente “pai dos burros”, para saber como construir uma segunda casa no terreno.

Neste caso a opinião de um arquiteto é a melhor informação que você precisa para tomar a decisão. Confira as dicas do Arquiteto da Felicidade para construir uma segunda casa no terreno.

Leia também

Continuar lendo Construir uma segunda casa no terreno

Bloco cerâmico ou bloco de concreto?

#domingodaconstrução

Que material utilizar? Bloco de cerâmica ou concreto? Conheça os materiais e como tirar vantagem deles na sua obra.

Leia também

COMPRE AGORA
OFERTA – Legalize sua obra e ganhe 10% de desconto. Confira a melhor oferta do Brasil

Camargo Química

Os blocos de concreto são versáteis por sua composição e estão cada vez mais se tornando uma boa opção para paredes de vedação ou estruturais das residências (sustentam a construção sem pilares e vigas). Com esse sucesso, a maior dificuldade está na escolha do material: concreto, concreto celular, silicocalcário ou cerâmica. De acordo com especialistas, é importante escolher o material que seja mais adequado ao projeto. Ou seja, conforme a resistência térmica da casa ou se a fundação pede peças leves.

Um projeto considerado racional evita cortes e desperdício de blocos, pois se baseia nas medidas das peças, inteira ou pela metade. Diferentemente dos tijolos maciços de barro, eles têm furos que permitem embutir as instalações elétrica e hidráulica, e consomem até um terço menos de argamassa no assentamento e no reboco, aumentando a produtividade da mão de obra. Entretanto, o tijolo tem maior isolamento acústico e capacidade de armazenar…

Ver o post original 398 mais palavras