Conferência sobre indicadores alternativos ao PIB acontece hoje na OCDE

OCDE

Hoje na cidade de Paris esta sendo realizada no Centro de Convenções da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) a conferência “Para além do PIB – da medição à política eleitoral e políticas publicas” (*).

Nesta conferência será apresentados os resultados finais do grupo de estudos BRAINPOoL, acrônimo do inglês: Bringing Alternative Indicators into policy – Trazendo indicadores alternativos para políticas públicas.

Este grupo é uma parceria colaborativa de 7 organizações “think-tank” de estudos econômicos de diversos países da Europa, organizada pelo programa de pesquisas da Comissão Europeia. Este grupo está dedicado a desenvolver e acelerar estudos para o desenvolvimento e uso de indicadores de ponderação ao uso do PIB e para apoio de processos e políticas de desenvolvimento sustentável na União Europeia.

Nesta conferência, o grupo BRAINPOol apresentará as principais conclusões e recomendações de projeto, focado em como este novos indicadores podem constituir uma agenda de amplo apoio eleitoral, e, ao mesmo tempo, vir a influenciar a elaboração políticas públicas inovadoras e integradas a partir destes novos indicadores.

A proposição será feita a partir de dois conjuntos de políticas: transição para uma economia verde e de uma política de mercado de trabalho voltada para o aumento do bem-estar.

Esta discussão será conduzida por especialistas em um painel internacional de alto nível, reunindo ministros do Trabalho, Políticas Sociais, Meio Ambiente, Economia e demais pastas políticas da União Européia e dos governos nacionais da Itália, Reino Unido e França. O debate será moderado pelo chefe estatístico da OCDE, Martine Durand.

Leia também:

(*) tradução livre de “Beyond the GDP: from measurement to politics and policy”

As 4 Virtudes Cardeais

A visão de mundo a partir das quatro virtudes cardeais nos conduz a uma vida mais feliz. Leia este texto.

Sob Malhete

Virtudes Cardeais

Virtude = tendência para o bem, que deve ser ensinada, vigilantemente, desde os primeiros anos de vida.

O número 4, segundo Pitágoras, representa a justiça pois 4 corresponde a soma de dois números pares e iguais (2 + 2), o quadrado também cumpre a mesma função. Justiça: idéia de proporcionalidade, medida, adequação. A virtude das virtudes, já que sua completa realização corresponde ao bem comum. O bem que não é só meu, nem teu, mas que inclui a comunidade, beneficiando a cada um e a todos, simultaneamente.

A justiça aponta para a finalidade da ação e a prudência é a mestra do como fazer: “Para bem agir, é necessário não apenas fazer algo, mas fazer como se deve, ou seja, é necessário agir de acordo com uma opção bem regrada e não apenas por impulso ou paixão.” Esta frase de São Tomas de Aquino resume aquilo que é o agir…

Ver o post original 209 mais palavras

Brasil terá um índice que medirá o bem-estar da população

MP900382699

Como medir o bem-estar de forma objetiva? Quais seriam os indicadores que podem refletir este sentimento?

Estudos contemporâneos passaram a adotar uma visão crítica dos indicadores econômicos clássicos, como PIB e renda per capita, e buscam uma metodologia mais abrangente, passando a considerar a percepção do ser humano sob os aspectos relevantes de sua vida.

Seguindo esta tendência, que é mundial, um grupo coordenado por pesquisadores da Escola de Administração de Empresas da FGV/SP e pelo Movimento Mais Feliz começou a estudar um índice de medição do bem-estar dos Brasileiros, chamado de Well-Being Brazil (WBB) Index, ou Índice de Bem-Estar Brasil.

Continuar lendo Brasil terá um índice que medirá o bem-estar da população

Fonte: Microsoft Office

Seja Feliz e viva sem tantas cobranças. Um excelente texto que compartilho com vocês

Seja Feliz!

Nós todos temos uma tendência de ser duro consigo mesmo.

Especialmente quando erramos e falhamos em qualquer empreitada, a autocrítica tende a nos castigar.

Não só tenho que arcar com as consequências do meu erro e ainda tenho aquela voz interna com o dedo em riste para apontar cada detalhe do meu erro.

Isso tem um lado bom, eu sei. Devo aprender com os meus erros e procurar evita-los.

Mas a crítica exagerada me coloca para baixo, afeta a minha autoestima e me limita a enxergar o grande quadro, o caminho da aprendizagem.

Quando era pequeno, o meu pai fazia esse papel, e me incomodava sobremaneira. Ele já nos deixou há muito, e eu assumi esse papel de apontar os meus próprios erros.

Tenho que ponderar sobre isso e ver o que estou ganhando com isso. Aproveitar o lado bom e a aprendizagem, acredito que seja mandatório, mas modular a…

Ver o post original 99 mais palavras