Conheça os benefícios da Espiritualidade Corporativa

Imagem
Fonte: dtcom.com

“Será que não está na hora de, além dos índices de produtividade, de lucratividade, de rentabilidade, de crescimento, de participação no mercado, criar também um índice de felicidade e de espiritualidade dentro das empresas?” (FAVA e GILZ, 2008)

Continuar lendo Conheça os benefícios da Espiritualidade Corporativa

Índice Anual de Felicidade Percebida: como utilizar a planilha

No dia de ontem foi lançada na fanpage do Arquiteto da Felicidade uma planilha feita no Microsoft Excel com a seguinte proposta: vamos medir o quão feliz foi o ano que passou. A esta planilha se chamou Índice Anual de Felicidade Percebida (Planilha IAFP). muitas pessoas já começaram a utilizar como ferramenta de medição da felicidade.

Mas acho que ficou faltando um tutorial que explicasse de onde saiu estes números e qual a melhor forma de utilizar o número encontrado. Este artigo vai explicar com um pouco mais de profundidade como utilizar a Planilha IAFP e os conceitos adotados.

Continuar lendo Índice Anual de Felicidade Percebida: como utilizar a planilha

Sete coisas que deveríamos reclamar menos na vida

Um comportamento muito comum que observamos com mais frequência no convívio social é o hábito de expressar ruidosamente o descontentamento por qualquer motivo. Trocando em miúdos: estamos reclamando demais!

É evidente que temos esse direito de reclamar quando estamos insatisfeitos. Só que persistir no hábito de reclamar nos torna presos a analisar somente os efeitos da insatisfação, como se neles residissem a solução do problema, sem nos aprofundarmos na real causa. E isso nos coloca numa perigosa zona de conforto.

Tornamo-nos pessoas que só reclamam da dor quando ela realmente dói, quando poderíamos pensar em evitar a dor, ou aprender por meio dela alguma coisa.

Por outro lado, acredito que existem situações que realmente podemos evitar o chororô e adotar uma postura mais saudável. Vamos mudar nosso foco na busca de resolver o problema e evitar a reclamação que não dá em nada. Separei aqui uma lista de eventos e situações adversas, nas quais poderíamos ser melhores ao lidar com elas:

Continuar lendo Sete coisas que deveríamos reclamar menos na vida

O arquiteto pode fazer qualquer projeto?

O imaginário das pessoas é muito fértil e controlar o que andam dizendo por aí é impossível. Mitos são construídos e desmontados, mas as pessoas se apegam, se apaixonam e defendem os mitos com unhas e dentes em discussões ferozes e acaloradas, mas em geral são superficiais como um papo de boteco.

Acredito que esse tipo de ambiente é provocado pelas pessoas para dar sentido a vida e ao ócio daqueles que o produzem. Mas que tal se dermos um tempo nessas bobagens? Tem horas que é preciso dizer a verdade e parar de alimentar esse tipo de papo, especialmente quando este traz prejuízo à vida de profissionais sérios.

Então, vamos mostrar os fatos e documentos e provar que a profissão de arquiteto e urbanista não tem essas limitações. Como fazer isso? Buscando a informação verdadeira, doa a quem doer.

Continuar lendo O arquiteto pode fazer qualquer projeto?

Quer ser feliz hoje mesmo? Controle o tempo!

MP900449122

Todos nós temos nossos sonhos, desejos, valores e princípios que levamos em consideração nesta caminhada que fazemos na busca de uma vida mais feliz e desenvolvida. Estes valores são de tal importância que inserimos eles na estruturação de um planejamento, na definição de um objetivo, de uma meta e de um prazo.

Mas vez por outra não sabemos dominar a eficiência de um projeto ao longo do tempo, criamos expectativas e tememos a frustração em vários momentos da vida. E neste momento refletimos e colocamos em xeque os sonhos, desejos, princípios.

Deste modo, vi que era importante complementar a visão dos Sete princípios do Arquiteto da Felicidade e falar mais sobre o papel do domínio do tempo nas elaboração de um bom projeto de felicidade.

Continuar lendo Quer ser feliz hoje mesmo? Controle o tempo!

Felicidade No Trabalho: O Que os Trabalhadores Me Ensinaram

#sextadafelicidade: aproveite esta sexta feira para refletir sobre como ser mais feliz no trabalho, sob a ótica de um líder esclarecido. Confira este novo artigo

Leia também:

Como anda a paixão sobre o seu trabalho?

Um texto de carreiras que fala sobre a felicidade na carreira. Será que não é hora de mudar para ser mais feliz?

Leia também

Mais Tempo - administração do tempo, produtividade e life hacking

Ontem estava voltando de um evento e conversando com uma funcionária da Bayer, falamos sobre o assunto de carreira. Ela fez veterinária e hoje trabalha com pesquisa clínica dentro da Indústria, o marido também é veterinário e se especializou em odontologia para cavalos.

A emoção que ela falava sobre a carreira dela era impressionante, algo de paixão mesmo, de gostar e ter prazer naquilo que faz. Óbvio que tinha probleminhas e coisas que ela não gosta no dia-a-dia, mas nada tirava o tesão de como ela falava do seu trabalho, o ruim se tornou supérfluo. Ouso dizer que ela é daquelas poucas pessoas que encontraram seu propósito, acharam o lugar certo e conseguem viver aquilo que amam no dia-a-dia.

I-love-my-job-583x388

Meu cunhando é outro exemplo disso. Ele é um conhecido jornalista esportivo, trabalha no principal veículo no segmento no País. Ele sempre amou futebol e hoje vive disso. No momento recebeu…

Ver o post original 421 mais palavras

Quero fazer faculdade de arquitetura: as matérias do vestibular

MP900439403

Passada a fase do Teste de Habilidade Específica, como já comentei anteriormente, é preciso concentrar os esforços no vestibular propriamente dito.

Eu fiz o vestibular em 2000 e naquela época os critérios eram diferentes. Não havia ENEM. Era um vestibular onde se estudava de acordo com o tipo de segmento da disciplina. Havia uma classificação de matérias específicas e não específicas de acordo com o tipo de carreira pretendida.

Naquela época, a redação era a primeira prova e tinha peso independente das demais matérias, tinha um dia só para as provas não específicas (eram Biologia, Química, Geografia, Língua Estrangeira e Literatura) e outro para as específicas (eram Matemática, Física, História e Língua Portuguesa).

A nota do vestibular era dada pela média do somatório das notas das matérias não específicas, somadas cada nota das específicas e redação, com peso individual, divido pelo número de pesos.

Desde que a minha faculdade passou a adotar o ENEM, pelo que pude apurar o critério de seleção é bem diferente, e eu não tenho como comentar esse novo processo.

Mas o que posso esclarecer para você, que é vestibulando, é que existe uma relação entre o que você vê na sua escola com o que virá no período da faculdade propriamente dito.

Leia também

Continuar lendo Quero fazer faculdade de arquitetura: as matérias do vestibular

Veja se você tem as competências corretas para alavancar sua carreira.

Leia também

Conheça alguns arquitetos famosos. Não necessariamente pela sua Arquitetura.