3 dicas muito importantes sobre decoração de interiores

sala de estar pequena, móveis e decoração

O sonho de todo morador de casa ou apartamento é ter um ambiente planejado, bem resolvido e esteticamente agradável, que traduza o espírito do habitante, que possa representar seu princípios e valores, e que o faça feliz.

A busca desta felicidade é o que move uma multidão de pessoas na busca de ideias, simples criativas, as tendências e novidades no segmento de arquitetura, decoração e design de interiores.

Prova disso é o sucesso da Casa Cor, o maior evento do setor na América Latina, que reúne a cada edição 500 mil visitantes e R$ 30 milhões em projetos realizados. Além disso, a Internet tem sido o meio mais importante para promoção deste negócio.

Oferecemos neste artigo algumas dicas preciosas, sob a ótica da arquitetura e do planejamento de ambientes, para que sua decoração obtenha os melhores resultados possíveis.

Dica nº 1: Lista de necessidades

Muitas buscas começam pelas imagens de ambientes decorados e planejados por decoradores de vários segmentos de público, desde a decoração alternativa e de reuso de móveis até o padrão de alto luxo. Entretanto, antes de alimentar o sonho da decoração, é importante fazer um planejamento de necessidades de intervenção para o ambiente a ser decorado.

A ilustração abaixo é um desenhos em pirâmide que busca segmentar as necessidades e hierarquizá-las de acordo com a importância no todo da casa.

piramide
Pirâmide da boa casa – Créditos do autor

Considere a pirâmide como o todo, a sua casa. A casa é o conjunto harmônico entre os elementos da arquitetura, construção, design de interiores e a decoração. Fazendo uma leitura vertical, debaixo para cima, a melhor decoração (topo) é aquele que está sobre uma base bem resolvida, isto é, entre as questões arquitetônicas, construtivas e do design.

Sendo assim, a primeira dica é verificar a sua necessidade da base e se perguntar: preciso fazer alguma intervenção de base no ambiente, como demolição, ampliação ou modificação do uso do espaço? Haverá alguma modificação consistente nas estruturas e instalações prediais?

Dica nº 2: Hierarquia de projeto

Considerando a necessidade de intervenção no ambiente, há de se considerar que as intervenções de base não podem ser negligenciadas, sob risco de “desabar a pirâmide”, isto é, gerar um desequilíbrio no seu projeto.

cristal_de_baccarat_-_lustre

Imagine que você tenha comprado um grande lustre para sua sala e não levou em consideração se a laje aguentaria o esforço extra ou se a instalação elétrica estava subdimensionada. É uma típica situação que incorrerá num custo extra que não estava planejado e poderá comprometer seu orçamento.

Verifique as condições básicas da sua construção antes de implantar sua decoração. Recomendamos fortemente a consulta a um profissional habilitado para avaliar o ambiente. Isso vai fazer bem para o seu bolso.

Dica nº 3: Escolha o profissional mais adequado

Conhecido o escopo e delimitando a atuação de cada profissional é necessário verificar as garantias que cada serviço é capaz de dar de acordo com o nível de intervenção no ambiente a receber a nova decoração.

A ilustração abaixo representa a abrangência quanto a responsabilidade técnica da atividade, de acordo com os requisitos da profissão:

garantias
Hierarquia de responsabilidades – Créditos do autor
Decorador de Interiores

O decorador é o profissional que tem a abrangência sobre a disposição dos elementos acessórios do ambiente interior, que podem ser uma seleção de móveis, adornos, prateleiras, sofás, cortinas, tecidos ou outros elementos estéticos de forma a criar um ambiente agradável.

A decoração não é uma profissão regulamentada, podendo ser exercida por autodidatas ou profissionais com cursos. O profissional da decoração não pode exercer a responsabilidade por obras civis perante os órgãos de fiscalização. Logo, a decoração com intervenção de obras civis deve ser realizada em parceria com profissionais com a habilitação.

Designer de Interiores

O designer de interiores é o profissional que tem a abrangência sobre a disposição dos elementos acessórios do ambiente interior e por alguns projetos que envolvam modelagem e confecção de móveis, assentos, elementos luminotécnicos e demais recursos de interiores.

O designer atua na escolha e na concepção de projeto do ambiente interior, com utilização de recursos de desenho técnico, layouts ou modelagem tridimensional do espaço, com o objetivo de conceber um ambiente agradável e funcional.

O designer de interiores não é uma profissão regulamentada, mas os profissionais geralmente fazem cursos de nível médio, superior e algumas especializações. Entretanto, o profissional da decoração não pode exercer a responsabilidade por obras civis perante os órgãos de fiscalização e neste caso também necessitará sempre do aval de um profissional com habilitação. O designer também não pode atuar em áreas externas.

Construtor

O construtor ou empreiteiro é o profissional que atual na execução do serviço de obra. Ele é o responsável pela execução das obras civis de reformas de ambientes interiores, exteriores, estruturas e instalações, demolições, ampliações e modificações internas

O construtor recebe o escopo da obra do responsável, que pode ser o proprietário diretamente ou quem ele designar para definir as atividades.

O construtor pode ter ou não um profissional próprio com responsabilidade técnica para a execução do serviço. A necessidade do profissional habilitado depende do escopo da intervenção no local.

Alguns serviços podem ser executados sem grandes dificuldades técnicas, como pintura, rebaixo de gesso ou colocação de porta. Outros de maior impacto, como demolição de paredes, rasgo em lajes e ampliações, deverão contar com o profissional habilitado para assinar o projeto e retirar licenças na prefeitura, se for o caso.

Arquiteto

O arquiteto é o profissional habilitado para assumir a responsabilidade técnica pelo projeto arquitetônico, execução da obra e fiscalização dos serviços executados por toda a equipe envolvida numa obra. A formação do arquiteto permite que ele possa atuar em todos os campos dos profissionais citados (decoração, design, construção), bem como outras atribuições técnicas.

O profissional de arquitetura é regulamentado por lei e possui o conselho de classe, responsável pela fiscalização do exercício profissional. Cada atividade contratada deve ser formalizada através de um Registro de Responsabilidade Técnica (RRT), que atesta a responsabilidade civil do profissional durante o contrato.

É importante ressaltar que dependendo do tipo de obra, é o arquiteto que deverá assinar plantas para aprovação junto à prefeitura, placa de obra, cumprimento de exigências,  ou mesmo recolher a guia do RRT para comunicar obras de interiores ao condomínio e atendimento as normas técnicas.

Conclusão

Decoração pode ser simples, criativa e barata, grande ou pequena, luxuosa ou sustentável. Todo mundo merece um ambiente bem projetado e acessível a sua realidade. Por isso mesmo a palavra de ordem deve ser: foco!

Foco no planejamento! Foco no orçamento! Foco no profissional! Foco no melhor resultado.

Se ficou alguma dúvida, clique aqui embaixo e escreva para a gente.

Confira também

DÚVIDAS?

Clique no botão e acesse a seção de tira-dúvidas

Anúncios