Urbanização Alternativa: Projeto para a Vila Residencial da UFRJ

“De imediato separam-se a rua, espaço conotado pela externalidade, e o quintal que, não sendo a casa, é, no entanto, da casa, que apesar de externo não é rua (…) A casa, porém, olha igualmente para a rua e para o quintal”
(Carlos Nelson dos Santos, Quando a Rua Vira Casa, p.49)

prancha final 1

Este trabalho foi desenvolvido na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ em 2005, na disciplina eletiva de projeto de Urbanização Alternativa, onde eram desenvolvidos estudos e projetos de habitação e urbanização em áreas de assentamentos precários de baixa renda.

O trabalho na disciplina consistia em pesquisa de campo e elaboração de um diagnóstico das condições urbanas e sociais da comunidade, localizada num terreno dentro da Cidade Universitária da UFRJ, na Ilha do Fundão e existente há mais de 30 anos.

O projeto em destaque foi atividade de final de período em 2005 e foi feito em dupla, em parceria com Élise Le Duc, estudante de intercâmbio que veio da França (hoje arquiteta)

Princípios conceituais

A fase de diagnóstico em pesquisas de campo mostrava a necessidade de intervir no espaço público da Vila Residencial da UFRJ, de modo a consolidar seu caráter introspectivo de suas ruas e resgatar as áreas desconectadas da vila, que eram o campo de futebol e o conjunto de casas chamado de “Vila dos Solteiros”, um conjunto de habitações mais precárias da comunidade.

Sendo assim, foi adotado uma hierarquização das vias por padrão de circulação de veículos e com diferenciação de pavimentação e arborização. O programa de intervenção previa ainda um campo de futebol, áreas de lazer, construção de uma creche e o reordenamento das construções do trecho da Vila dos Solteiros.

Apresentação

O projeto foi apresentado em duas pranchas impressas, elaboradas sobre a base em AutoCAD e tratada com o Adobe Photoshop e CorelDRAW.

Adotamos com padrão de apresentação da hierarquia viária, a sobreposição de fotos com croquis feitos à lapis com papel-manteiga, e fizemos uma foto montagem dos padrões construtivos.

O detalhamento da intervenção na parte da entrada da Vila foi feito em AutoCAD e com perspectivas simplificadas com o uso do SketchUP, de forma a ilustrar o aspecto geral da nova entrada proposta.

Reconsiderações sobre o trabalho

Este projeto teve continuidade e me credenciou a integrar o Programa Instituicional de Bolsas de Extensão (PIBEX) de 2005, como bolsista do Programa de Inclusão Social da Vila Residencial da UFRJ, sob a coordenação dos professores Pablo Benetti e Maria Julieta Nunes, da FAU/UFRJ

Eu tenho um grande carinho sobre esse projeto. Primeiro, pela simplicidade da abordagem do projeto urbano e que ficou refletido no padrão de apresentação. Segundo, pelo entrosamento que tive com Élise Le Duc, que se tornou uma grande amiga minha, mesmo com um oceano de distância.

Essa troca de experiências e pontos de vista, de um brasileiro e uma francesa, que se somaram na busca de um objetivo de inclusão urbana que levou em consideração os moradores e suas relações com a cidade, foi sem dúvida o maior legado desse projeto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s